domingo, 14 de fevereiro de 2010

Memória e (res) sentimento


Estou tentando, nestes dias de Carnaval, concluir uma parte muito importante da minha dissertação. O Rei Momo está me convocando para a sua festa, e eu, foliã que sou, estou quase literalmente isolada de tudo e de todos para concluir a minha tarefa e não sucumbir ao seu chamado.Quem manda não equilibrar melhor as coisas, Denise!
Então, neste período de produções acadêmicas, fui apresentada a um livro que se transformou no título deste post.
Quero muito escrever mais sobre este tema.Memória e ressentimento tem muito a esclarecer não só sobre a minha dissertação, mas sobre as nossas trajetórias de vida e me fascina.
Quantas lembranças guardadas que preferimos esquecer? Quanta emoção guarda uma decisão tomada no passado e que acreditamos resolvida, mas que está ali, aprisionada e escondida, sufocada, reprimida e à primeira chance, transborda, arrebentando tudo ao nosso redor?
Minhas entrevistadas me apresentaram, em seus relatos, esta força, a da emoção dos desejos reprimidos...

2 comentários:

Rafael de Carvalho Pullen Parente disse...

Nossa! Imagino que esse tema dê pra escrever várias teses! Estou batalhando também para terminar a minha tese de PhD, mas o final está tão difícil...

Dedê disse...

Curioso ler isso 3 anos depois...